grafica-RTX

O que é uma mineradora de Criptomoedas?

O investimento em criptomoedas tem se tornado mais frequente entre quem tem um perfil arrojado e se baseia na expectativa de valorização dos ativos digitais. Porém, além de saber como fazer a compra e a venda, vale a pena entender o que é a mineração de moeda.

Afinal, o processo é importante para o funcionamento e para a continuidade do sistema. Além disso, pode oferecer recompensas para quem assume a função de validar novas operações.

Neste artigo, você saberá tudo sobre a mineração de criptoativos e conhecerá suas principais características. Confira!

O que é a mineração de moeda?

Antes de entender o conceito de mineração é preciso compreender o blockchain. Essa tecnologia é uma das bases para o funcionamento de muitas moedas digitais, como o Bitcoin.

Ele serve como uma espécie de livro de registro com todas as transações efetuadas. A diferença é que faz esse registro de maneira digital e dinâmica.

Conforme as operações ocorrem, novos blocos precisam existir. Eles são como se fossem as folhas seguintes de um livro de registro, por exemplo. Porém, no blockchain os blocos são interconectados, formando a cadeia ou corrente que o nomeia.

Por isso, a criação de um bloco deve ser validada, até mesmo para evitar fraudes. Tal processo de validação de novos blocos é, justamente, a mineração. Então, minerar criptomoedas significa adicionar novos registros e blocos na tecnologia blockchain.

A etapa se faz necessária pela característica de descentralização dos ativos digitais. Como não existe uma entidade regulamentadora, é preciso contar com dispositivos que assegurem as transações — como é o caso da mineração.

Como funciona a mineração de moedas virtuais?

Depois de entender o que é mineração de moeda é fundamental compreender como tudo funciona. Primeiramente, você deve saber que os mineradores são voluntários, ou seja, são usuários que se dispõem a se tornarem validadores de novos blocos, em troca de uma possível recompensa.

Além disso, o processo de mineração pode acontecer com base em três possibilidades. Conheça quais são!

Prova de Trabalho (PoW)

A prova de trabalho ou proof-of-work (PoW) é mais utilizada ao minerar Bitcoin, a mais famosa das criptomoedas. Nesse caso, existe o chamado hash, que é um algoritmo de identificação do bloco que será criado.

Ele funciona de maneira criptografada, com uma chave única. A descoberta da sequência numérica é feita por tentativa e erro, com base na resolução de problemas matemáticos complexos. Por causa disso, é algo que exige uma grande capacidade computacional.

O objetivo é demonstrar que o minerador precisou adicionar esforço para realizar o processo, em vez de simplesmente criar o número.

Prova de Participação (PoS)

A prova de participação ou proof-of-stake (PoS) envolve o investimento de criptomoedas e não de recursos computacionais. O minerador disponibiliza um determinado valor em criptomoedas para garantir a operação, em uma espécie de caução.

Quanto maior for o montante disponibilizado, maiores serão as chances de ser selecionado como minerador. Por outro lado, uma tentativa de fraude faz com que todo o volume de ativos digitais não seja devolvido.

Prova de Capacidade (PoC)

A prova de capacidade ou proof-of-capacity (PoC) é relativamente recente e é focada na disponibilidade de armazenamento. O minerador não tem que disponibilizar uma grande capacidade de processamento e, sim, um amplo volume destinado ao registro e ao armazenamento.

Quanto maior for o espaço dedicado para a tarefa, maiores serão as probabilidades de ser escolhido como o validador. Isso porque arquivos maiores têm mais chances de conter o hash certo.

Por que as pessoas recorrem ao processo de mineração?

Sabendo que os mineradores são voluntários, pode surgir a dúvida sobre o motivo pelo qual eles escolhem realizar o procedimento. Afinal, dependendo do criptoativo, é preciso investir grandes quantias para poder executar a validação.

Na prática, as pessoas são mineradoras pelas recompensas oferecidas. Essa é uma maneira de obter novas moedas digitais ou suas frações, como forma de remuneração pela validação executada. No caso da mineração de Criptomoedas, receber uma recompensa é vantajoso por dois motivos.

O primeiro envolve a valorização da moeda. Ao obter uma fração de Criptomoedas, você pode converter a moeda virtual em exchanges, que são instituições financeiras. O processo acontece com base na cotação do dia e pode significar um lucro de centenas ou até milhares de dólares.

Além disso, há o fato de muitas criptomoedas ter uma emissão limitada a alguns milhões de moedas. Ao ser um minerador desse ativo digital, portanto, é possível ser recompensado com uma moeda digital que poderá se tornar cada vez mais rara.

Qualquer pessoa pode começar a minerar?

Caso você tenha interesse em criar uma mineradora do tipo, a estrutura deve dispor de algumas características. É crucial, por exemplo, que haja uma grande capacidade computacional, que é chamada de hash.

Isso significa, muitas vezes, dispor de equipamentos voltados para a tarefa. Também é necessário compor uma configuração robusta, com vários elementos para resolver os problemas matemáticos com bastante eficiência. Isso envolve diversos

Outro ponto importante diz respeito às condições do ambiente. Os processadores perdem capacidade de trabalho quando passam por um superaquecimento, por exemplo. Ao mesmo tempo, quanto mais trabalham, maior tende a ser a temperatura.

Por isso, é preciso ter atenção a esse fator. O ideal é que a temperatura seja mantida relativamente mais baixa, pois isso pode favorecer o desempenho dos equipamentos. Ainda é fundamental que o ambiente seja protegido e tenha estrutura elétrica robusta para suportar a demanda.

Compartilhe este Artigo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email